Novembro 16, 2015

Quando o corpo não alcança o que a mente acredita

Quando o corpo não alcança o que a mente acredita

A infertilidade é uma das mais difíceis experiências na vida de um casal, podendo afetar de forma trágica um relacionamento. Quando há a intenção certa e segura de engravidar, o casal deve estar consciencializado para qualquer resultado e, ainda que a maternidade/paternidade seja um ponto muito importante na vida de ambos, não é nem pode significar o término de uma vida (social e profissional de qualidade) ou relação.

O IVI Lisboa existe para ajudar os casais inférteis a alcançarem a difícil conquista da maternidade/paternidade, mas também para lhes dar o apoio psicológico e emocional necessários a ultrapassarem o que a mãe natureza não lhes permitiu: a procriação.

Por isso, sempre que achares que estás sem forças para seguir em frente, para repetires e insistires, quando já não acreditas que o teu corpo não alcança o que a tua mente deseja, deixamos-te este refúgio, um poema de Fernando Pessoa, que diz que “ser feliz é reconhecer que vale a pena viver” e para viver basta respirar, respirar fundo quando as coisas não acontecem como desejaríamos, e voltar a respirar, e voltar a viver. Apoiem-se mutuamente e sigam o novo rumo nessa nova vida.

 

“Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo.
E que posso evitar que ela vá a falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver
apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e
se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar
um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um ‘não’.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo…”

 

Fernando Pessoa

Solicite a sua primeira consulta:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up