Maio 31, 2021

Deixe de fumar antes de engravidar

Deixar de fumar
Pelo Comité Editorial Blog IVI

O tabaco prejudica a saúde em geral, é a principal causa de cancro e de muitas doenças cardiovasculares. E no que à fertilidade diz respeito, fumar causa vários distúrbios, tanto em homens quanto em mulheres. Ao iniciar um tratamento de fertilidade é muito importante ter força de vontade e deixar de fumar. Pense que assim aumenta a probabilidade de conseguir engravidar e de ter um bebé saudável. De acordo com os números da Organização Mundial da Saúde estima-se que atualmente existam 1,1 milhões de fumadores no mundo. No geral, 40% da população masculina fuma, em comparação com 9% da população feminina.

Parar de fumar antes da gravidez: porque é que é necessário e quais métodos de cessação do tabagismo?

Pare de fumar antes de engravidar para maximizar a probabilidade de ocorrer a fertilização

Os efeitos nocivos do tabaco na fertilidade masculina

Os efeitos negativos do tabaco são sentidos diretamente na qualidade do esperma. Nos fumadores, um espermograma pode revelar:

  • astenospermia (espermatozóide mais lento);
  • oligospermia (menos esperma);
  • necrospermia (um grande número de espermatozoides mortos);
  • teratospermia (espermatozoides com defeitos morfológicos).

Além disso, está comprovado que o tabaco tem consequências para o DNA. Estas mutações observadas no sémen podem ser transmitidas às gerações futuras na forma de alterações genéticas irreversíveis.

 

Os efeitos nocivos do tabaco na fertilidade das mulheres

Durante a fase de ovulação, o tabagismo afeta o processo de maturação do folículo ovárico. O tabaco causa uma diminuição significativa na reserva ovárica das fumadoras, o que resulta em:

  • diminuição da concentração da hormona anti-Mülleriana (AMH);
  • uma diminuição nos folículos antrais;
  • níveis elevados de hormona folículo estimulante (FSH).

O crescimento do folículo ovárico é comprometido, em particular pela presença de nicotina, benzopireno, cádmio e outros desreguladores endócrinos no fluido folicular.

No contexto da fertilização in vitro (FIV) ou inseminação artificial (IA), fumar pode complicar certos procedimentos da PMA: como a estimulação ovárica e a recolha de óvulos.

O tabaco também pode causar disfunção da trompa de Falópio, alterando as contrações do músculo liso e diminuindo a frequência das batidas ciliares. Esses dois efeitos combinados diminuem a migração do embrião das trompas para o útero.

 

Proteja o desenvolvimento do embrião, deixe de fumar antes da gravidez

Fumar pode afetar o desenvolvimento do embrião. No estágio inicial, vemos que:

o ovócito tem menos probabilidade de ser fertilizado;

é mais difícil para o embrião atingir o estágio de blastocisto.

Na fertilização in vitro, os fumadores correm o risco de obter um número reduzido de embriões.

Durante a fase de implantação do embrião, os efeitos negativos do tabagismo podem ser sentidos no endométrio, placenta ou músculo uterino, dificultando o tratamento de fertilidade.

Fumar 20 ou mais cigarros por dia coloca os fumadores em quatro vezes mais risco de gravidez ectópica do que os não fumadores

 

Deixar de fumar para fortalecer a saúde do feto

Entre os efeitos negativos do tabaco sobre a saúde do feto, o risco de causar infertilidade futura está em primeiro lugar. É o que Dr. Sérgio Soares, diretor da clínica IVI Lisboa e José Bellver, ginecologista do IVI de Valência e professor de obstetrícia e ginecologia da Faculdade de Medicina de Valência demonstram no seu estudo “O impacto do tabagismo na saúde da descendência‘, publicado na Expert Review of Obstetrics & Gynecology.

Dez cigarros por dia durante a gravidez afetam diretamente a saúde do bebé. Em meninos, o risco é uma queda provável na concentração de espermatozoides de 20 a 48%. Nas meninas, a consequência mais evidente é a diminuição da reserva ovárica. De fato, a exposição a moduladores hormonais como o benzopireno, presente no fumo do cigarro, mostra-se muito prejudicial para os ovários que se começam a formar durante o primeiro trimestre da gravidez.

O estudo também mostra que a exposição pré-natal ao tabaco também está ligada ao aumento de casos de defeitos congénitos, obesidade, hiperatividade e distúrbios comportamentais.

Os diferentes métodos para parar de fumar antes da gravidez

Como acabamos de ver, fumar pode ter um forte impacto na fertilidade do homem e também da mulher. Durante o tratamento de procriação medicamente assistida, o tabaco é um sério obstáculo para o sucesso do projeto reprodutivo. Por isso é essencial parar de fumar antes da gravidez. Para ter a certeza absoluta de que não está a correr nenhum risco, é melhor parar de fumar o mais rápido possível. Embora a cessação do tabagismo exija forte motivação, há notícias encorajadoras para dar sentido aos esforços necessários para a desintoxicação. Na verdade, os efeitos nocivos do tabaco no organismo feminino são reversíveis em um ano. Nos homens, essa duração é reduzida para três meses.

Ao decidir parar de fumar antes da gravidez, não hesite em procurar ajuda de um especialista para ter apoio nessa etapa. Nos centros IVI, recomendamos o apoio de um especialista nessa área para aumentar a probabilidade de eficácia.

Para ajudá-la a estar motivada nessa etapa, possivelmente o médico recomendará diferentes técnicas de cessação do tabagismo ao ex-fumador, tais como:

terapia cognitivo-comportamental, uma abordagem não medicamentosa que visa modificar o comportamento por meio da aquisição de estratégias de evitação ou substituição;

substitutos da nicotina, incluindo adesivos, gomas, pastilhas e inaladores, que estão disponíveis em farmácias. Para ter certeza que vai escolher as dosagens e frequência de uso corretas, é melhor discutir isso com seu médico.

Solicite a sua primeira consulta:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up