Março 14, 2017

Conselhos para viver com endometriose

IVI endometriose

A endometriose é um doença tão dolorosa como desconhecida. Afeta 176 milhões de mulheres em todo o mundo e é uma das principais causas de infertilidade.

O nome provêm da palavra endométrio, que é a parte que cobre o interior do útero e se desprende em cada ciclo com a menstruação.

A endometriose

Segundo definição presente no site da Associação Portuguesa de Mulheres com Endometriose, a ação hormonal de cada ciclo menstrual, faz com que endométrio sofra um processo cíclico de regeneração e descamação . Esta descamação provoca a menstruação e com ela são recicladas as glândulas e o estroma que compõem o endométrio.

Quando as células que compõe o endométrio se encontram fora da parte interna do útero, implantando-se noutros locais dá-se o processo de Endometriose.

Tips para melhorar a qualidade de vida das mulheres com endometriose:

Uma vez diagnosticada a endometriose, a mulher deve considerar alguns aspetos que poderão melhor a sua qualidade de vida. Nem sempre são fáceis de aplicar. Sobretudo deve investir algum tempo em interioriza-los e depois ver como poderão ter aplicação prática na sua vida.

Apoio Psicológico

Esta é uma doença que causa sentimentos de incapacidade, culpa, medo, angústia, incerteza. Portanto é importante ter alguém que nos ajude a lidar com todas estas fases. O objetivo é que não tornemos algo que já é grande e complicado, em algo muito difícil de lidar. Uma mente serena, organizada, lida melhor com a situação, tem menos ansiedade e menos stress. Deste modo encontra respostas mais rapidamente e de forma mais acertada quando surgem os problemas. Já para não falar que o estado de stress e ansiedade causa mais inflamação e consequentemente mais dor!

Alimentação equilibrada – apoio nutricional adequado

A alimentação pode ser a chave para uma vida com menos dor. Não conseguimos controlar a doença pela alimentação, mas conseguimos controlar a sintomatologia. Uma alimentação anti-inflamatória e sem produtos processados/açúcares e com pouco glúten pode ser a chave para reduzir inchaço, perder o peso ganho com a toma de medicação e para que a sintomatologia da doença seja atenuada.

Desporto adaptado

Nem todos os desportos são adequados. Mas existem alguns que certamente nos farão sentir melhor. Yoga, pilates, caminhadas, natação são alguns exemplos. O importante é perceber qual é mais eficaz para cada uma de nós e mexer o corpo. Por menos vontade que se tenha. Um corpo parado é um corpo mais doente!

Tempo para mim

Há estudos que ligam a Endometriose a mulheres que se preocupam primeiro com todo o universo e só depois consigo. Mulheres que em vez de lerem um livro que lhes apetece estão preocupadas em como resolver os problemas dos amigos/familiares. Mulheres que em vez de verem uma série preferem ir fazer voluntariado e resolver os problemas do mundo. Não que este tipo de personalidade/vivências não seja positivo. É! Mas há que encontrar um equilíbrio. Precisamos de cuidar de nós. Ter tempo para ler, se nos apetecer, para ver uma série, para tomar um banho mais relaxado, para ir ao cinema, para não fazer nada! Desligar do mundo é essencial!

Saber parar

Nos dias de mais dor é importante parar. Deitar, colocar um saco de água quente/ou de gelo na zona que nos está a doer com mais intensidade ou tomar um banho quente relaxante.

Dormir bem

Se o nosso corpo/mente não descansa no mínimo 7/8h por dia todo o quadro de dor piora.

Enfrentar medo da infertilidade

Saber que cerca de 40% das portadoras de endometriose enfrentam problemas de infertilidade é útil para prevenir ou minimizar o impacto da endometriose na sua fertilidade. Os especialistas ajudam a planear o futuro com alternativas como a vitrificação de óvulos e a monitorização da fertilidade para saber até quando é que a sua fertilidade pode esperar por si.

Gostar de mim

Eu não tenho culpa de ter uma doença crónica, de não poder ter filhos, de não conseguir exercer a minha profissão. Eu não tenho culpa e não me posso culpar por isso! Mas posso aprender a virar a página e a transformar o mau em algo positivo. Consequentemente é possível viver bem e feliz com Endometriose!

Solicite a sua primeira consulta:

1 comentário

  • Carmita Soares says:

    Tenho endometriose ha cerca de 1 ano. Tenho sofrido muito com esta doenca, ja fiz uma cirurgia, senti melhoras. Tenho medo que volta a aparecer. Obrigada por estas informacoes que voces vao passando neste site. Fiquei mais informada sobre a endometriose.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up