Solicite informações ou consulta

Conselhos de alimentação para grávidas

gesunde schwangerschaft

A mulher logo após conseguir a tão desejada beta positiva, deve ter como prioridade o bem-estar físico e psicológico – tanto o seu como o do bebé. Atualmente, as grávidas são alvo de muitos conselhos, normas e recomendações relacionadas com a alimentação. Por isso, conversámos com a Paola Ramos, nutricionista do IVI em Espanha para esclarecer algumas das questões mais frequentes acerca das verdades e mitos da alimentação durante a gravidez.

O que não pode faltar no prato da grávida:

• Proteínas animais (carne, peixe e ovos, sempre cozinhados) são essenciais para o correto crescimento do embrião. Às grávidas vegetarianas, aconselhamos, se for possível, que comam carne vermelha durante a gravidez, pois os níveis de ferro tendem a baixar (tendo inclusivamente que tomar suplementação). Para uma melhor absorção de ferro, tanto em forma de alimentos como em suplemento, recomenda-se evitar comer alimentos lácteos 1 hora antes e 1 hora depois. Deve acompanhados com vitamina C (laranja, limão, pimento…)
• A gorduras vegetais (sobretudo o azeite) ajudam a construir as membranas das células.
• O cálcio é fundamental para a formação dos ossos e dentes do bebé. Ainda assim, não é necessário consumir leite gordo. Existe leite meio-gordo ou magro com baixo teor de gorduras e enriquecidos com cálcio ou vitaminas A+C que se eliminam ao desnatar. O ideal é comer 3 porções de lácteos por dia (queijo, iogurte, leite …).
• Vitaminas com ácido fólico (a nível nutricional encontramos nos brócolos, espargos, legumes e avelãs), que ajudam a prevenir os defeitos do tubo neural, e o Ómega-3, que melhora a função cognitiva e neurológica do bebé. Apesar de ser consumido na dieta diária, é importante suplementar a grávida com ácido fólico e outras multivitaminas especificas.

O que deve evitar:

• Bebidas estimulantes (café, chá, infusões, bebidas energéticas e refrescos). No caso do chá e do café, não deve tomar mais de 2 chávenas por dia. Por outro lado, em relação aos refrescos, é preferível optar pelos que não têm açúcar (o gás não é problema).
• O Fígado têm alto teor de vitamina A. Em excesso pode provocar defeitos no desenvolvimento do bebé, sobretudo nos primeiros meses de gravidez).
• As Algas (alto teor de iodo), ainda assim para afetar a gravidez teriam que ser tomadas em grandes quantidades.
• O Peixe escapada e o atum fresco, não devem ser consumidos pelo alto teor de mercúrio e metais. Prefira os peixes brancos e o salmão.
• Alimentos muito gordos, uma vez que a produção de hormonas na gravidez faz com que a digestão seja mais lenta. Se já por si as refeições mais gordurosas custam a digerir, para uma grávida pode provocar uma digestão ainda mais pesada. O melhor é fazer mais refeições por dia e de pouca quantidade.
• Saladas ou verduras cruas: Devido ao risco de toxoplasmose na ingestão de frutas e legumes, estes alimentos devem ser muito bem lavados. Consequentemente não deve comê-los fora de casa, uma vez que não pode controlar a forma como foram lavados. E em casa, deve lavar muito bem, mesmo que venham embaladas.

O que é proibido consumir:

• Queijos não pasteurizados, frescos ou azuis, pelo risco de conter listeria (bactéria). É preferível consumir queijo curados e semicurados.
• Enchidos, salsichas e fiambre fumado. Ainda assim existe a opção de congelar estes alimentos para eliminar o risco de toxoplasmose. Se for imune à toxoplasmose este ponto não se aplica.
• Carnes cruas ou malpassadas, pelo risco de toxoplasmose.
• Peixe cru em geral, fumado ou salgado. Se quer comer sushi, deve perguntar se o restaurante utilizou peixe congelado a -20 graus, pelo menos 24-48h.
• Maionese caseira, ovos pouco cozinhados e sobremesas feitas com ovos crus.
• Durante a gravidez fumar está fora de questão, bem como beber bebidas alcoólicas.
Em conclusão, não esqueçam da máxima, é melhor comer de forma saudável do que comer por dois.

Compartilhar Facebook Twitter Google +