Setembro 16, 2020

Síndrome do ovário poliquístico: afeta a gravidez?

SOP

A síndrome do ovário poliquístico (SOP) é uma doença que afeta 10-15% das mulheres e em que ocorre um desequilíbrio das hormonas sexuais femininas. Isto pode provocar alterações do ciclo menstrual, aparência de quistos nos ovários e dificuldade em engravidar, entre outras coisas. Em seguida explicaremos em detalhe este tema. Setembro é o mês da consciencialização para esta síndrome e nós queremos contribuir para que mais mulheres tenham mais informação e conheçam esta doença.

Para melhor entender o que é a síndrome do ovário poliquístico é importante conhecer o aparelho reprodutor da mulher.

Aparelho reprodutor da mulher

É onde estão localizados os órgãos responsáveis pelo processo de reprodução. Como funções desse sistema, podemos destacar:

  • Produção e armazenamento dos óvulos;
  • Local onde ocorre a fecundação
  • Implantação do embrião e local para seu desenvolvimento até ao parto.

O sistema reprodutor feminino é formado pelos seguintes órgãos: ovários, trompas de Falópio, útero e vagina.

Ovários

Os ovários são dois órgãos de forma oval que se situam ao lado do útero. São responsáveis pela produção das hormonas sexuais da mulher: a progesterona e o estrogénio. Nos ovários estão os folículos onde se encontram os óvulos. Todos os meses há um folículo que cresce e quando chega a maduro liberta o óvulo na ovulação.

Trompas de Falópio

São dois tubos localizados em cada lado do útero e que permitem a comunicação entre os ovários e a cavidade uterina. Depois da ovulação o óvulo é captado pela trompa e aí é fecundado para formar zigoto. O embrião vai crescendo e é encaminhado para a cavidade uterina onde se fixa e desenvolve para dar origem à gravidez.

Útero

A sua função é acomodar o feto até ao nascimento. Se não houver fecundação o endométrio descama e ocorre a hemorragia da menstruação.

Vagina

É o órgão sexual feminino cuja função está relacionada com a atividade sexual, a passagem do sangue durante a menstruação e é por onde nasce o bebé.

O que é a síndrome do ovário poliquístico?

É necessário distinguir entre a síndrome do ovário poliquístico e o ovário poliquístico pois não é a mesma coisa.

Os ovários poliquísticos são diagnosticados através de ecografia e podem ou não ser acompanhados de sintomas.

A síndrome dos ovários poliquísticos (SOP) é um conjunto de sinais e sintomas causados por desequilíbrio hormonal dos ovários e este, que pode ser ligeiro ou grave e causa irregularidade dos ciclos menstruais, crescimento de pelos em zonas mais comuns nos homens, aparecimento de acne entre outras alterações hormonais. O diagnóstico depende de critérios médicos específicos que inclui sintomas, ecografia e análises.

E como posso saber se tenho síndrome do ovário poliquístico?

Geralmente ocorre em mulheres em idade fértil e estas apresentam alteração do ciclo menstrual, desequilíbrios hormonais e outros problemas a nível metabólico. Esta síndrome afeta a fertilidade em alguns casos, mas não é o mais habitual.

A síndrome do ovário poliquístico é mais frequente em pessoas com um IMC superior a 30 – obesas ou com antecedentes familiares.

Síndrome do ovário poliquístico como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é feito através da avaliação clínica de antecedentes pessoais relevantes como diabetes, colesterol alto, hipertensão arterial, aumento de peso e obesidade; da avaliação dos níveis hormonais de androgénios (hormonas masculinas) e resistência à insulina e adicionalmente através da ecografia ginecológica transvaginal para avaliar a dimensão e as características dos ovários.

Qual é o tratamento? Afeta a possibilidade de engravidar?

No caso de a mulher ter excesso de peso, o primeiro passo é perder peso. Se não se pretender engravidar é recomendado o uso da pílula anticoncetiva para que os ciclos menstruais sejam mais regulares.

Se existir resistência à insulina associado ao SOP é importante controlar o nível de açúcar no sangue com uma dieta específica e ou com alguma medicação. Este desequilíbrio pode originar mais tarde a diabetes.

Quando uma mulher com SOP quer engravidar deve falar com o seu médico ginecologista. Para além do controlo do peso pode ser necessário induzir a ovulação recorrendo a alguns medicamentos que estimulam o crescimento do folículo até à ovulação. O uso destes medicamentos requer um controlo ecográfico para avaliar o seu efeito. Depois de algumas tentativas de indução de ovulação se não acontece a desejada gravidez ou se não se consegue uma resposta ovárica adequada pode haver necessidade de recorrer à fertilização in vitro onde é possível aumentar a probabilidade de gravidez e avaliar a qualidade dos óvulos e embriões.

As mulheres com SOP, quando engravidam, têm um risco aumentado do hipertensão arterial e diabetes durante a gravidez.

Se se seguirem as recomendações médicas a probabilidade de gravidez é alta. Qualquer dúvida coloquem aqui nos comentários que a Dra. Catarina Godinho tem todo o gosto de ajudar a esclarecer.

 

Solicite a sua primeira consulta:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up