Fevereiro 8, 2022

Infertilidade Secundária: quando o “maninho” não chega

Infertilidade secundaria
Pelo Comité Editorial Blog IVI

A palavra “infertilidade” não é nova por aqui. Contudo, estamos habituados a falar de casos em que se procura engravidar e não se consegue. Então e o que se passa com aqueles casais que engravidam naturalmente na primeira vez, mas depois não conseguem engravidar na segunda tentativa? Trata-se do que conhecemos como “infertilidade secundária”, que vamos falar nesta publicação, sobre as suas causas e como a podemos detetar.

O que é a infertilidade secundária?

Como já dissemos anteriormente, falamos de infertilidade secundária quando não se dá uma gravidez ou quando se sofre alguns abortos depois de ter havido, pelo menos, uma gravidez a chegar ao fim com sucesso. Tal como acontece nos casos de infertilidade primária, o tempo estimado para que possamos começar a suspeitar que pode existir um problema é 12 meses em que um casal tem relações sexuais sem proteção e ainda assim não existe nenhuma gravidez. Como sabem, este prazo reduz para 6 meses nos casos em que as mulheres têm mais de 35 anos. Se passado este tempo, as tentativas não tiverem sido bem sucedidas, é chegado o momento de consultar um especialista e não esperarem mais. Aliás, como iremos ver mais à frente, aqui a idade também é um fator muito importante. A infertilidade secundária tem muitas coisas em comum com a infertilidade primária, no que diz respeito às suas causas e origem, as quais iremos explicar mais à frente. A infertilidade secundária pode afetar tanto mulheres como homens, já que o problema em conceber novamente pode estar em qualquer um dos membros do casal, ou até nos dois.

Causas da infertilidade secundária

Tal como acontece na infertilidade primária, nos casos em que não se dá uma nova gravidez, as causas podem surgir na mulher, no homem ou em ambos.

Causas da infertilidade feminina:

  • Endometriose;
  • Alterações hormonais;
  • Problemas vaginais ou uterinos;
  • Doenças genéticas;
  • Outros problemas de saúde que afetam a fertilidade, como excesso de peso ou défice de peso;
  • Hábitos nocivos que afetam a saúde e a fertilidade, como o consumo de álcool e tabaco.

Causas da infertilidade masculina:

  • Declínio da qualidade ou quantidade do sémen;
  • Aparecimento de patologias que afetam o aparelho reprodutor masculino;
  • Alterações do trato genital;
  • Excesso de peso;
  • Hábitos nocivos que afetam a saúde e a fertilidade, como o consumo de álcool e tabaco.

Mas, como já falámos anteriormente, a principal causa que provoca a infertilidade secundária na mulher é a idade. E, como se sabe, nos últimos anos tem-se visto como vamos atrasando a maternidade. Se tivermos em consideração que, agora, falamos de conceber um segundo filho, a idade em que isto acontece é ainda mais tardia. O passar do tempo afeta a fertilidade da mulher, uma vez que a partir dos 35 anos se começa a observar um declínio na quantidade disponível de ovócitos. Não só na quantidade, mas também na qualidade desses mesmos ovócitos, uma vez que é a partir dos 38 anos que aumentam as probabilidades de surgimento de aneuploidias nos embriões. 

Testes para diagnosticar a infertilidade secundária

Nos últimos anos aumentou o número de casos em consulta em que, apesar de já ter existir um filho concebido de forma natural, o segundo não chega. Se este é o seu caso, deverá consultar um especialista – depois de 6 ou 12 meses a tentar engravidar, mas sem sucesso – que analisará o seu caso e recomendará uma série de exames que ajudem a confirmar que, efetivamente, existe um problema de infertilidade secundária. Nestes casos, os exames diagnósticos são os mesmos realizados nos casos de infertilidade primária. No IVI, estes exames incluem a história clínica e exames físicos completos, para os dois membros do casal. Para a mulher, exames básicos como o estudo hormonal de base, a ecografia e a histerosalpingografia. Em relação ao homem, realiza-se uma avaliação da qualidade do sémen, mediante seminograma ou espermograma. O especialista que acompanhará o vosso caso verá se existe a necessidade de realizar algum outro exame complementar para o diagnóstico da infertilidade secundária.

Como é que no IVI podemos ajudar?

Para além da realização dos exames diagnósticos que acabámos de explicar, no IVI contamos com diversas unidades específicas que poderão tratar o seu caso em profundidade. E, como especialistas em reprodução medicamente assistida, contamos com um vasto leque de tratamentos e técnicas para que consigam concretizar o sonho de aumentar a família.

Testemunho infertilidade secundária

É o caso de Ana, paciente IVI, diagnosticada com infertilidade secundária. “Eu tive a minha primeira filha aos 35 anos, de uma forma relativamente fácil e sem nenhum problema. Decidi esperar algum tempo para ter o segundo, mas quando quis voltar a tentar, apercebi-me que não estava a conseguir. Passaram-se anos e eu decidi consultar especialistas uma vez que o tempo estava a esgotar-se”.

Para além disso, no IVI sabemos que enfrentar um diagnóstico de infertilidade pode ser muito complicado, ainda para mais depois de já ter experienciado uma gravidez de forma natural. Ainda para mais, quando ao tentar uma nova gravidez, surgem complicações inesperadas. Por isto mesmo, em todas as nossas Clínicas, contamos com um Unidade de Apoio Emocional, com profissionais que ajudarão a enfrentar este novo cenário das vossas vidas. 

Se tiver alguma dúvida sobre infertilidade secundária, deixe-nos o seu comentário. 

Solicite a sua primeira consulta:

Comentários estão fechados.

Voltar ao topoarrow_drop_up