Maio 31, 2022

Impacto do tabaco na fertilidade

Impacro do tabaco na fertilidade
Pelo Comité Editorial Blog IVI

Vivemos numa sociedade muito mais consciente do impacto do tabaco na saúde: tem sido demonstrado que causa cancro, doenças respiratórias e cardiovasculares. No entanto, a prevalência do hábito de fumar chega a 20% em casais em idade reprodutiva, o que indica que ainda existe desconhecimento sobre o facto de casais que fumam, terem quatro vezes menos probabilidade de conceber um filho.

Porque é que o tabaco afeta a fertilidade?

Especificamente, os componentes químicos do tabaco e fumo do cigarro, assim como nicotina, cianeto e monóxido de carbono, entre outros, possuem altos níveis de toxicidade que afetam o desenvolvimento dos folículos. Ao chegar um menor fluxo sanguíneo, afetando a qualidade dos óvulos e acelera a perda. Além disso, afeta a capacidade de produzir estrogênio e torna os óvulos mais propensos a ter anormalidades genéticas que podem levar a aborto espontâneo, gravidez ectópica ou outras complicações.

Fertilidade feminina

Embora pareça claro que o tabaco e a gravidez não são bons companheiros de viagem, muitos casais ainda não sabem que o efeito que isso tem na fertilidade é comparável a ter mais dez anos. Isso traduz-se em pior qualidade de ovócitos e embriões. De fato, a queda da hormona que determina a fertilidade, a hormona anti-Mülleriana, é até 20% mais rápida em mulheres que fumam e pode até causar menopausa precoce entre 1 e 4 anos mais cedo do que em mulheres que não têm o hábito de fumar. Devido a todos esses fatores, as mulheres costumam precisar de mais tratamentos para conseguir engravidar e as taxas de implantação são menores.

Fertilidade masculina

Esse desconhecimento social sobre como afeta o momento de tentar formar uma família também afeta a fertilidade dos homens. Neste caso, ocasiona uma baixa contagem de espermatozoides, anormalidades na forma e mobilidade e até genética. É muito importante saber que, embora o homem possa ter uma boa produção de espermatozoides, fumar afeta a qualidade do esperma. Pode causar infertilidade ao ponto de não conseguir que ocorra a fecundação.

Devemos ter em conta que fumar, não tem apenas implicações para a conceção (mesmo em fumadores passivos). Também tem impacto a longo prazo. As consequências do tabagismo materno e paterno na exposição pré-natal estão associadas a uma alta incidência de malformações no feto, bem como obesidade, hiperatividade e distúrbios comportamentais.

Os especialistas apontam que parar de fumar pode reverter parte dos efeitos nocivos para a saúde em geral e na fertilidade em particular. E que na hora de planear uma gravidez e ter hábitos saudáveis, o tabaco não tem lugar.

Solicite a sua primeira consulta:

Comentários estão fechados.

Voltar ao topoarrow_drop_up