Maio 15, 2017

7th International Fundación IVI Awards

IVI Awards, homenageados

Na noite de dia 12 de maio foram entregues os IVI awards. Neste sétima edição do Congresso Internacional do IVI foram entregues, pela sétima vez, os prémios da melhor trajetória de investigação. E pela segunda vez o Prémio Jornalístico IVI sobre Medicina Reprodutiva e Saúde Materno-Fetal.

Os investigadores internacionais Richard Legro, Juan Carlos Izpisúa e Magdalena Zernicka-Goetz e os jornalistas espanhóis Irene Vaquerizo e a Ana Perez ganharam os prémios científicos e jornalísticos da Fundação IVI.

7th International Fundación IVI Awards

O prémio científico concedido pela Fundação IVI consta das seguintes categorias: investigação básica e investigação clínica em Medicina Reprodutiva. E o reconhecimento que está avaliado em 25.000€. O objetivo é destacar a importância da investigação em medicina reprodutiva. Reconhece-se tanto os investigadores como as equipas que ajudaram a ampliar horizontes científicos e clínicos para melhorar o futuro dos tratamentos e técnicas aplicadas à sua área de atuação. O prémio é, além do mais, um reconhecimento pela trajetória profissional dos investigadores e da sua contribuição para a investigação.

Prémio científico

Neste contexto, o professor Richard Legro obteve o prémio de melhor trajetória em investigação clínica de grupos de excelência  em Medicina Reprodutiva. Os professores Juan Carlos Izpisúa e Magdalena Zernicka-Goetzreceberam o prémio da melhor trajetória investigadora cientifico-básica de excelência em Medicina Reprodutiva.

O júri foi formado por personalidades de investigação e Medicina, como o Prof. Santiago Grisolía, Presidente da Fundación Valenciana de Estudios Avanzados. Pelo Prof. Hans Evers, editor da publicação Human Reproductions e o Prof. Antonio Pellicer, copresidente do IVI e membro do júri dos Prémios Jaime I.

Âmbito dos estudos

O objetivo de investigação principal e prática clínica do Prof. Richard Legro, centra-se no diagnóstico e tratamento do Síndrome de Ovário Poliquístico, assim como o estudo das causas genéticas e ambientais que poderiam induzir este síndrome e a sua relação com a esterilidade. Legro também tem está focado em tudo o que está relacionado com o hiperandrogenismo e a obesidade da mulher. Dado que frequentemente esta se associa a este síndrome. Este investigador é uma referência mundial sobre o problema de obesidade na mulher e a sua implicação na reprodução, e de um modo geral, sobre tudo o que se relaciona com o Síndrome do Ovário Poliquístico.

A Professora Magdalena Zernicka-Goetz desenvolveu a sua vertente investigadora sobre o conhecimento do desenvolvimento embriológico nos mamíferos e especialmente na espécie humana.  O seu trabalho permitiu saber como se forma o embrião humano pré-implantacional. Publicou, recentemente, como se formam as distintas capas germinativas do embrião humano depois da sua implantação no dia 14 de desenvolvimento. Esta publicação recebeu a menção de Breakthrough o the year 2016 pela revista Science.

Juan Carlos Izpisúa, Professor da Universitat de València, apesar de ter desenvolvido grande parte da sua carreira no Instituto Salk de SanDiego (USA). Foi mediatizado pelas suas investigações sobre células mãe e medicina regenerativa. O seu trabalho aproximou a regeneração de células mãe na cura das doenças como o cancro, parkinson e surdez.

II Prémio Jornalístico IVI

O II Prémio Jornalístico IVI sobre Medicina Reprodutiva e Saúde Meterno-Fetal foi entregue pelo Francisco Torralba, diretor Marketing, Comunicação e Atendimento ao Paciente do IVI.

As jornalistas Irene Vaquerizo e a realizadora Teresa Pérez (TVE), assim como a jornalista Ana Pérez (Revista Quo) foram vencedoras desta edição pelos seus trabalhos realizados na categoria de Medicina Reprodutiva e Saúde materno-fetal, respetivamente. A quantia económica entregue foi no valor de 3.000€. O troféu era em forma de estátua que representa Venus de Willendorf, o símbolo da fertilidade. Foi reconhecida a excelência jornalística destas profissionais na divulgação de informação sobe medicina reprodutiva.

O júri, formado por diferentes personalidades do jornalismo, decidiu entregar o prémio às reportagens “Maternidad tardía” de Vaquerizo e Pérez, na categoria de Medicina Reprodutiva e “Cómo se harán los niños del futuro? de Pérez, na categoria de Saúde materno-fetal.”

Solicite a sua primeira consulta:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up